Monday, 2 August 2010

To a stranger

To someone that almost killed me



I'm dying, praying, bleeding and screaming
Am I too lost to be saved? Am I too lost? 

---

Yugan da zazou o keshi saritai no wa
Jibun no genkai o soko ni miru kara

Eu vou ser sincera e dizer que não sabia pra quem escrever essa carta, sinceramente, eu pensei em algum dia ver alguém que parecesse simpático na rua e escrever para esse alguém, mas não fazia muita idéia...daí eu li esse post da Teka e tive a ideia de escrever pra você...é tão estranho eu ter repentinamente tomado essa decisão, porque eu evito ao máximo pensar em você, falar de você ou ao menos lembrar que você passou por mim, você é um completo estranho, eu não me lembro do seu rosto, eu não consegui realmente ver como ele era...mas eu me lembro de você, me lembro de cada detalhe, de cada palavra que você me disse, me lembro de como você segurou minha mão e saiu andando pela rua, de como eu me senti assustada, de como eu pensei que era um assalto e de como eu descobri que era muito pior...
Me lembro também de como eu comecei a chorar e você, seja por piedade, medo ou culpa, me deixou ir, me deixou ir e por isso eu ainda estou aqui, eu estou viva...se fosse mais além eu não iria deixar, eu nunca iria, você teria que me matar, mas não sei se conseguiria, acho que não era a sua vontade...
Você não estava nem aramado poxa, não estava com uma faca, nada, e eu não sei por que não revidei! Eu devia ter revidado, mas eu não revidei, eu só chorei, e implorei! Eu me senti tão fraca depois, tão patética! Minha vontade é de bater em caras como você, eu não gosto de pensar mas eu sei que existem vários, muitos! Você mesmo disse aquele dia para eu tomar cuidado porque tinham outros naquela rua, na mesma rua que eu não consigo mais passar, mesmo de dia...
Eu queria acabar com todos vocês, para que não somente eu, mas também todas as outras garotas que já se sentiram assim ou temem se sentirem assim não tenham que pasar por isso! Mas eu não sei se poderei fazer alguma coisa... 
Eu só sei que eu evito, eu só sei que eu temo, eu só sei que eu não vou saber o que fazer, mas eu espero que aquele ditado de um raio não cai duas vezes no mesmo lugar seja verdadeiro...e eu permaneça com a minha sorte, para sempre...









To someone that just wanted a popcorn





Kishin da omoi o hakidashitai no wa
Sonzai no shoumei ga hoka nai kara


Eu lembro que você estava tocando uma gaita, eu sempre quis tocar uma também, eu lembro que você parou na frente da loja e pediu uma pipoca, pediu pra todo mundo...e pediu pra mim...e eu não dei, fiquei com vergonha de sair da fila do caixa e atrapalhar todo mundo pra pegar uma pipoca, e eu me arrependi, me arrependi muito quando você foi embora sem sua pipoca doce, eu queria poder voltar pra loja e esperar você aparecer, tocando sua gaita e me pedindo uma pipoca, porque caso isso aconteça, pode ter certeza, eu vou esquecer a timidez e te dar uma pipoca ^^

2 comments:

  1. Nhoi, Jes!
    Eu lembro sobre aquele dia que você contou pra gente e de como eu fiquei desesperada por você. Essas coisas acontecem, sabe, o mundo tá cheio de pessoas realmente ruins e, por mais que a gente pense que pode fazer algo, a gente não pode. Você não ter revidado foi a melhor coisa que fez, vai por mim. Ele ainda era um homem que podia estar com outros homens que podiam ter feito algo pior. Então não se sinta mal não, você fez o que era certo. E Deus provavelmente tava do seu lado, porque sério, ele te soltar foi tipo um milagre.
    E sobre a pipoca, ooown! *-* Eu também ficaria meio culpada, da próxima vez você dá! IUHDSUISAHDI

    ReplyDelete
  2. Vc ainda foi corajosa o suficiente pra escrever isso, já passei por um sequestro relampâgo e um assalto aqui na empresa e, eu mesmo falando, não gosto nem de lembrar. É a pior sensação do universo. Mas, também acredito nesse ditado e que assim seja.
    Beijos

    ReplyDelete